Será que a minha profissão vai existir no futuro?

Estudos apontam que 71% do trabalho mundial hoje é realizado por humanos e 29% por robôs – esse número deve se equilibrar já no início da próxima década conforme recente relatório produzido para o Fórum Econômico Mundial. Com essa previsibilidade, surge uma natural pergunta: será que minha profissão vai existir no futuro?

Primeiramente, posso afirmar que não precisamos ficar angustiados com as perspectivas. A evolução das profissões é algo que acontece desde que o mundo é mundo. Muitas profissões surgem, outras se reciclam e uma determinada fatia encerra sua passagem pelo mercado de trabalho.

Até o século XV, o Estado do Vaticano, por exemplo, possuía mais de 10 mil copistas. Esses profissionais eram responsáveis por fazer a reprodução dos textos bíblicos a mão, página a página, letra a letra. Nos idos de 1450 a invenção da máquina de impressão tipográfica por Johann Gutenberg mudaria o destino desses profissionais e da profissão. Não se sabe ao certo o que aconteceu com essas pessoas, mas bem provavelmente eles buscaram outras áreas para se dedicar.

Mesmo antigo, o tema nos dias de hoje ganha contornos ligados a agilidade da informação e processos. É inegável que o mundo do século XXI está muito mais rápido e é em cima disso que todos nós precisamos nos pautar. Por mais que permaneçamos no mesmo ramo profissional ao longo de nossa carreira, ela não será a mesma ao longo do percurso. A atualização, investimento e o diferencial são itens essenciais para se manter diferenciado no mercado.

Neste sentido, não somente os profissionais devem se ater a tendência, mas também escolas técnicas, universidades e as próprias empresas precisam mergulhar neste universo.

Também não basta fazer cursos e mais cursos, sem ao menos analisar quais as portas os mesmos irão lhe abrir. Antes de iniciar uma reciclagem, estude sobre as tendências do mercado onde você atua. Direcione a sua busca por especialidade que vai agregar em sua vida profissional hoje e amanhã.

Busque ainda, escolas que tenham consistência e credibilidade e um corpo docente de peso. Infelizmente o mercado está cheio de escolas que apenas surfam na ‘crista da onda’, oferecem cursos com títulos bonitos, mas que não agregam em nada. Então, invista tempo e busque o melhor para sua carreira.

E por último, não pare jamais de estudar. A atualização e reciclagem nos dias de hoje fazem parte da vida profissional, uma espécie de atividade obrigatória para quem deseja se manter atualizado e fugir do ‘fantasma’ da extinção de sua profissão.

Fonte: De Bernt