O mundo é outro e você é o mesmo

Frente as rápidas mudanças do mundo contemporâneo, é praticamente impossível sermos os mesmos profissionais, do começo ao fim de nossas carreiras. Arrisco dizer que, em algumas áreas, muitos profissionais vão iniciar suas atividades em determinada especialidade e finalizarão sua atuação como profissional, anos depois, em outra, pois a atividade mãe será extinta.

Isso tudo parece um pouco louco, não é? Digo que não. Desde que o mundo é mundo, as coisas se alteram de tempos em tempos. Ainda, bem, caso contrário, ainda moraríamos em cavernas. O que diferencia os dias de hoje com algumas décadas atrás é a velocidade com que tudo acontece.

Quando o homem desenvolveu a bússola, que foi uma revolução na navegação, entre criar o dispositivo e aplicá-lo na prática, levou-se aí ao menos uns cem anos. Avançando ainda na história da comunicação, tivemos a revolução das cartas manuscritas, passando pelo telegrafo, telex, fax, e-mail e dispositivos de mensagens instantâneas. A cada nova criação, parece existir uma regra: a de que um precisa ser mais ágil que o outro.

Se essa é uma verdade incontestável, resta ao profissional de hoje acompanhar de perto essas mudanças. Claro que é humanamente impossível ser expert em todas as áreas. Mas precisamos estar atentos as mudanças para que as facilidades possam nos ajudar em nossas rotinas. E a saída é buscar sempre informações, ler, estudar e se atualizar constantemente. Veja, estou falando ‘constantemente’. Isso porque, aquilo que hoje é aplicável, amanhã não o será, então não adianta usar de longos períodos para fazer uma possível atualização profissional. O hoje é efetivamente o momento.

A pessoa que decide parar e não mais seguir essa maré, tende a ficar pelo caminho, pois o atoleiro começa a ficar cada vez mais profundo e de difícil saída. Com isso, seu valor de mercado acaba por cair e sua produtividade já não será mais a mesma. O emocional também começa a ser comprometido, principalmente quando a pessoa se dá conta de que o ‘trem passou’.

As organizações empresariais também precisam ficar atentas para que seu corpo colaborativo não ‘envelheça’ rapidamente. A efemeridade das coisas não pode afetar os negócios, para isso, programas de atualização precisam ser ofertados e focado para o que acontece no momento e naquilo que há por vir.

Profissionais que trabalham em órgãos públicos tendem a ter ainda mais dificuldades. Dependendo do setor e do nível da função, o alcance a nova tecnologia fica mais restrito, devido a ‘quase falência do poder público’ e a má gestão de estados e municípios. Para esses profissionais eu sugiro que não parem e busquem investir em si mesmos.

A certeza de que temos, olhando para todo esse contexto é que o mundo não vai parar, a tecnologia não vai parar e você não vai poder e não vai mudar essa realidade. Então, a dica é: não lute contra as novas tendências, faça com que elas trabalhem a seu favor. Desta forma, a vida profissional bem como a particular serão muito mais leves e você muito mais feliz!
Fonte: De Bernt