É tempo de revelar o amigo secreto

Adentramos Dezembro e o mundo corporativo vira, literalmente uma grande festa. Entre as atrações que praticamente todas as empresas gostam de promover, independentemente do ramo de atividade em que se atue, está o Amigo Secreto.

Alguns amam, outros sentem arrepios só de ouvir a palavra. Mas, por não ser uma unanimidade entre as pessoas, por que muitas empresas ainda insistem em realizar tal ‘integração entre colaboradores’?

Em sua concepção a ideia é muito boa, pois a troca de presentes também se traduz na troca de carinho, estreita o relacionamento e se muito bem conduzido é um momento de descontração que alivia toda a tensão que possivelmente se tenha vivido naquele ano.

Porém, quando se institucionaliza o amigo secreto, aí é que mora o problema. Ninguém pode se sentir ‘obrigado’ a participar. Se isso ocorrer, são grandes as chances de dar errado, como por exemplo, pessoas sortearem nome de um alguém que muitas vezes não se tem um bom relacionamento, ter gente que não se dedica a busca de um presente com a cara do amigo e ou ainda de pessoas receberem presentes que não condizem com a sua pessoa. Ai o que era para ser uma confraternização, vira reclamação.

Então para não errar, ao decidir que se fará o amigo secreto, a primeira regra é: convide as pessoas e jamais as obrigue a participar. Estipule um presente condizente com o grupo. Por exemplo: se são pessoas que ganham bem, então o valor pode ser mais arrojado. Se for uma equipe a qual se tem remunerações mais modestas, pense em valores apropriados.

Regra básica: se a ideia for misturar os públicos, sempre balize pelo menor valor, para que pessoas da base não se sintam obrigadas a comprar algo com valor monetário muito alto. E, se nesta mesma ideia, você colaborador tirar uma pessoa da liderança, não se sinta obrigado a comprar algo além do estipulado. Lembre-se que o gesto vale muito mais do que o valor.

Tendo isso definido, seja criativo, aproveite a oportunidade para fazer desta ferramenta de relacionamento, uma forma de fazer com que as pessoas se sintam bem e que tenham uma confraternização alegre e inesquecível.

Fonte: De Bernt